fbpx

Em 2017 levamos até o 4Life Lab da ABA Global Education uma edição especial do ProfLab. Era o finalzinho das férias de janeiro e Sidan ORafa, especialista em Pensamento Visual que já rodava o país compartilhando conhecimentos sobre o tema havia acabado de entrar para nosso time. Com uma nova experiência de aprendizagem, dessa vez voltada para as contribuições do Pensamento Visual em ambientes de aprendizagem, a formação foi uma das que reuniu mais educadores e também mais gerou feedbacks. Quando falamos em feedback não nos referimos a formulários de pesquisa, mas sim ao retorno que os cursistas nos dão sobre a aplicação direta do conteúdo aprendido. Um desses feedbacks especiais foi escrito em forma de relato de experiência pelo professor Allison Santos, do Centro Educacional Maria Santíssima na cidade de Ipojuca, Região Metropolitana do Recife. O relato na íntegra você acompanha a seguir:

 

Vivência do rabisco à vida

por Allison Santos

 

Do rabisco à vida: um relato de experiência

Imagens gentilmente cedidas pelo professor Allison Santos

A aprendizagem é um processo dinâmico sendo ele construído de forma ativa em que se destaca a interação, o diálogo, a colaboração, a produção, a criatividade, o fazer entre outras maneiras. Sabemos que esse processo pode ser desenvolvido em diferentes espaços, de diversas formas e com recursos tecnológicos de natureza analógica ou tecnologias avançadas, mas que de fato proporcionem ao aluno uma aprendizagem prazerosa, dinâmica e colaborativa.

Disposto a inovar desde o primeiro dia de aula busquei de forma criativa e colaborativa trabalhar a “Vivência do rabisco à vida experience”. Nela apliquei o Pensamento Visual durante a atividade de volta às aulas do Centro Educacional Maria Santíssima (CEMS) em Ipojuca, Pernambuco. O objetivo foi fazer com que os alunos experimentassem o OLHAR através de “outras lentes”, registrando o tempo Kairós (tempo livre/ócio) e ao mesmo tempo vivenciando o tempo Chronos (tempo cronometrado). A vivência foi realizada durante as aulas de Arte e engajou alunos do 6° ano do Ensino Fundamental até o 1° ano do Ensino Médio, levando os alunos a aprender a olhar com os OLHOS DA MENTE.

 

Do rabisco à vida: um relato de experiência

 

A ideia foi trabalhar através de registros (rabiscos) as experiências vivenciadas durante as férias e os aprendizados construídos durante o tempo Kairós em diferentes ambientes e momentos. Entre os momentos rabiscados estavam viagens, atividades de lazer e visitas a diferentes locais como cinemas, museus, parques e as casas dos familiares. Assim, os alunos saíram de um universo passivo para um ambiente ativo, rabiscando as experiências vivenciadas da forma mais inspiradora possível, experimentando novos olhares e observando o que tinham aprendido em seu tempo livre.

Durante a vivência houve várias provocações sobre como enxergar o mundo, como perceber a importância do ato de estudar e sobre como aplicar e aproveitar o tempo Kairós para aprender. Também houve reflexões sobre como vivenciar o tempo Chronos para organizar os estudos. Foi a partir dessas experiências que os alunos trabalharam em grupos com a “mão na massa” e começaram a olhar com os olhos da mente. Por meio da interação colaborativa e dialógica e utilizando recursos simples como caneta, lápis, papel e post-its, registraram com rabiscos suas experiências e planejaram seus estudos dentro do tempo Chronos.

Assim, utilizando Pensamento Visual, foi possível apresentar aos alunos novas formas de utilizar o tempo, perceber diferentes habilidades e observar o quanto é importante valorizar as experiências cotidianas para construir novos conhecimentos, além de facilitar a aprendizagem no espaço escolar.

Essa foi uma forma colaborativa, transformadora, libertadora e criativa que encontrei para que no primeiro dia de aula os alunos pudessem construir conhecimento de forma prazerosa no ambiente escolar. Ao mesmo tempo a troca de experiências foi estimulada despertando alunos para novos olhares. Nessa atividade os alunos aprenderam a aprender, a fazer, a dialogar e a conviver. Mais ainda, aprenderam a olhar, enxergar, imaginar e comunicar suas ideias de forma expressiva. Para mim foi gratificante desenvolver uma aprendizagem baseada no diálogo, mais construtiva e significativa.

 

Parabéns, Allison! Somos gratos pela sua presença no ProfLab, pelo professor desbravador que você é e mais ainda pelo compartilhamento da sua experiência conosco.

Participou de alguma formação do ProfLab e desenvolveu atividades com base no conhecimento adquirido? Nosso blog está aberto para você! Envie seu relato e imagens da sua experiência para o e-mail contato@souproflab.com.br e publicaremos logo em seguida.

Karla Vidal

Karla Vidal é sócia da Pipa Comunicação onde atua há mais de 12 anos em projetos inovadores que unem comunicação, design e educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *